review-heisleofarmor-switch

Pokémon Sword & Shield – The Isle of Armor (Switch) – Capturando o primeiro DLC da série

Quem diria que um dia Pokémon entraria na onda de pacotes de expansão, vulgo DLC, né? Claro, após o vexame que foram Pokémon Ultra Sun e Pokémon Ultra Moon no 3DS –  jogos que vieram para trazer conteúdos extras para as versões originais, Pokémon Sun e Pokémon Moon –  já era de se esperar que a Game Freak iria buscar uma alternativa para expandir seus jogos. Agora, com The Isle of Armor, ao invés de oferecer aos jogadores conteúdos extras disfarçado de jogo novo, a GF resolveu apostar no conteúdo por download. Será que foi uma boa jogada?

Desenvolvimento: GAME FREAK Inc.

Edição: Nintendo

Jogadores: 1 (local)

Gênero: Aventura, RPG

Classificação indicativa: Livre

Português: Não

Plataformas: Switch

Duração: 4 horas (campanha)/10 horas (100%)

DLC, temos que pegar!

O primeiro DLC para Pokémon Sword e Pokémon Shield foi liberada no mundo todo no dia 17 de junho de 2020. Trazendo um “Passe de Expansão” em duas partes, com acesso aos conteúdos de The Isle of Armor e The Crown Tundra. Este último será liberado para todos que comprarem o passe apenas no final de 2020.

Essa primeira parte do DLC pode ser adquirida por qualquer jogador de Sword e Shield e pode ser jogada logo nas primeiras etapas do jogo. Assim que você ganha acesso à Wild Area, já é possível viajar para a nova ilha. Portanto, fica a seu critério o melhor momento para se aventurar na Isle of Armor em sua jornada. 

Treinadora do Dojo

Isso é possível pois a Game Freak teve o cuidado de colocar um escalonamento de level, permitindo que você encontre na ilha treinadores e Pokémon com níveis ajustados aos monstrinhos que você está carregando no momento do desembarque, como já acontece na Wild Area da campanha principal. 

Ainda assim, não espere encontrar inimigos level 100, mesmo se você estiver com seu Pokémon shiny preferido e super treinado em sua equipe. Assim como na Wild Area, existe um nível máximo que você encontrará nos Pokémon selvagens em Isle of Armor mesmo após o pós-game. Então, já fica aqui a dica para não levar em sua nova jornada monstrinhos em níveis muito elevados, pois você vai acabar tirando uma boa parte da graça do jogo.

Nova trama, velhos problemas

Ao chegar na ilha, você irá se deparar com um novo personagem que será o seu rival na expansão: Klara, treinadora do tipo Poison, ou Avery, treinador do tipo psíquico, dependendo da sua versão de Pokémon Sword ou Shield, respectivamente. Aqui você dará continuidade ao arco do Galarian Slowpoke, capturado na atualização que saiu no dia 20 de março para os jogos originais.

De qualquer forma, a trama segue com o mesmo roteiro independente da versão que você estiver jogando. A única diferença fica por conta dos monstrinhos disponíveis em cada uma das versões, como já acontece no original. Ao desembarcar, você ganhará uma atualização da sua PokéDex, com a inclusão dos novos Pokémon existentes da ilha e totalmente apartada da sua PokéDex original. Além de introduzir novas formas Gigantamax para seus monstrinhos preferidos.

Esta é uma adição muito bem-vinda, ainda mais depois que descobrimos que muitos Pokémon ficaram de fora das versões originais. Mas não se anime muito com isso, já que não passarão dos 200 monstrinhos disponíveis pra você capturar, sendo até que alguns foram reciclados dos Sword e Shield originais.

Batalha contra a treinadora Klara com escalonamento de nível

Foco no treinamento

Sem sombra de dúvidas, a estrela da ilha é o Dojo. Lá você será apresentado aos demais personagens da expansão: Mustard, o velho líder do Dojo, e sua esposa Honey. Alguém aí falou em mostarda e mel? Bom, aqui você será incumbido de realizar diversas missões por toda a ilha. A partir daí, a exploração toma conta e você poderá se aventurar por cada canto do mapa. 

Logo de cara, já é possível notar que a Game Freak fez a lição de casa. Comparada à Wild Area, a Isle of Armor foi muito bem trabalhada e não passa mais a impressão de ser um imenso vazio onde os Pokémon brotam do nada. Ok, esse último ponto pode ainda ser uma verdade, contudo, a ilha é bem distribuída e repleta de montanhas, florestas mais densas e cavernas, com direito até a um deserto escondido!

E se você sentiu falta de uma parte verdadeiramente aquática em Galar, Isle of Armor é um prato cheio pra quem curte pedalar sobre a água, trazendo muitas praias e pequenas ilhas repletas de Pokémon aquáticos para você descobrir (too much water?). O visual realmente impressiona, com direito até a um Wailord em tamanho real pra você capturar!

Contudo, se por um lado a imensidão e os detalhes da ilha impressionam, por outro, as limitações do jogo original começam a gritar. Você nunca irá sentir tanta falta de um mapa na tela (ou pelo menos um botão dedicado pra ele) como nesta expansão. A sensação de estar perdido vai acompanhar você por todas as missões do DLC. Imagine procurar por 150 Alolan Digletts sem um mapa pra te ajudar? Boa sorte!

Wailord visto da Isle of Armor

Um novo laço a ser criado

Ao longo da sua aventura, você será introduzido ao novo Pokémon Kubfu. Um simpático ursinho fã de kung-fu, que te acompanhará nessa jornada para se tornar um Urshifu – o novo Pokémon lendário que a expansão traz para o universo de Galar.

No mapa, você terá acesso às duas torres de treinamento, sendo uma water-type e outra dark-type. Portanto, você estará livre para decidir qual o tipo de treinamento que seu Kubfu será submetido: forma Rapid-Strike ou Single-Strike. Isso mudará completamente o tipo da evolução do seu amiguinho, portanto escolha com sabedoria!

Kubfu e Mustard

Expande, mas nem tanto

No geral, The Isle of Armor chega para expandir e consertar, na medida do possível, alguns erros de Pokémon Sword e Shield, trazendo uma PokéDex menos limitada, uma espécie de Wild Area mais rica e pra deixar o pós-game um pouco mais convidativo. Apesar disso, deixa um pouco a desejar com uma trama curta, embora muito divertida, mas pouco desafiadora. Ainda mais se você deixar para entrar nessa campanha depois de terminar a história principal.

Mesmo assim, vale a tentativa. Embora esta primeira parte do DLC melhore a experiência de captura e exploração da Wild Area, ela ainda deixa aquele gostinho de “quero mais”. O jeito vai ser aguardar pelo desfecho de todo o arco de Galar na segunda parte da expansão, já que The Crown Tundra promete trazer novos Pokémon lendários e mais exploração no ambiente, fechando com chave de ouro a primeira geração inédita de Pokémon no Nintendo Switch. E quem sabe, com alguma sorte, um botão dedicado pro mapa. 

Esta review foi feita com uma cópia de Switch cedida pelos produtores

Revisão: Samuel Leão

Pokémon Sword & Shield - The Isle of Armor

7

Nota Final

7.0/10

Prós

  • Isle of Armor bem trabalhada e melhor distribuída que a Wild Area
  • Novos Pokémon para completar sua Dex
  • Trama engraçada e mais carismática que a do arco principal

Contras

  • História muito curta
  • Falta de mapa na tela chega a ser irritante
  • Poucas novidades em relação ao jogo principal
  • Pouco desafiador