review-blazing-chrome-capa

Review Blazing Chrome (Switch) – Um mix de boas memórias

Joguei bastante a série Contra e Metal Slug na infância. Não o bastante para ser considerado um expert no gênero Run ‘n Gun, porém o suficiente para entender que esse tipo de jogo foi feito para conquistar o jogador através da jogabilidade

Eis que a Joymasher, desenvolvedora brasileira, vai e cria um jogo completamente inspirado nestes dois títulos citados anteriormente, e o resultado não poderia ter sido melhor

Desenvolvimento: Joymasher
Edição: The Arcade Crew
Jogadores: 1-2 (local)
Gênero: Ação, Plataforma, Tiro
Classificação indicativa:  12 anos
Português: Interface e legendas
Plataformas: PC, PS4, Xbox, Switch
Duração: 2 horas (campanha)/ 4.5 horas (100%)

Run 'n Gun é isso aí

O Run ‘n Gun raiz com toque moderno

Quem é gamer desde há muito tempo sabe que atualmente é bastante diferente de quando começamos a vida nesta “carreira” informal. Na infância e adolescência passamos boa parte jogando videogames como se não houvesse o amanhã, tudo por conta da ausência de responsabilidades que tínhamos no dia-a-dia. Pois bem, a gente cresce e um dia temos que começar a pagar os boletos, dar duro, pagar contas atrás de contas e, na real, sobra bem pouco tempo para realmente sentar no sofá e dedicar algumas horas para um jogo.

É normal sentir saudades de títulos com os quais tivemos convivência nessas épocas de ouro. Porém, é bom ressaltar que estes jogos antigos, em sua grande maioria, não possuíam de forma nativa os recusos primordiais para o dia de hoje. Quantas vezes você já morreu, por exemplo, na própria série Contra, levou um game over na cara e, em seguida, preciso voltar do zero? Pois é, atualmente isso é algo, particularmente, bem frustrante para mim.

Gosto de poder escolher, e aprecio jogos que respeitam meu tempo e minha forma de jogar oferecendo opções. Blazing Chrome é uma carta maravilhosa de amor e pensa nos amantes de jogos clássicos, os quais cresceram sentindo falta de algo inspirado nessa época de ouro. Outro ponto que faz referência aos 16bit é a trilha sonora, com músicas bastante voltadas para o público que curtia os jogos no SNES ou no Mega Drive.

Senta o tiro

Acessilidade bem-vinda

Por aqui temos um jogo excelente, digno de ser chamado “o run ‘n gun definitivo” que não fica devendo nada. São poucos trabalhos tão bem polidos assim com os quais tenho contato hoje em dia. Começando pelo fato de que não precisamos voltar do zero caso haja alguma derrota e a perda de todas as vidas, já que seu progresso é simplesmente salvo para você continuá-lo após esgotar as chances. Simples, mas moderno, não acha?

Os jogos da era 16bit esbanjavam qualidade, e mesmo assim geralmente não ofereciam uma escolha de dificuldade em si. Blazing Chrome mais uma vez pensando em dar opções ao jogador permite isso desde o início. Mas a mudança de dificuldade não significa simplesmente um alteração preguiçosa onde inimigos se tornam mais fracos ou ganham resistência, mas sim alguns equipamentos, como os pequenos drones, irão te auxiliar durante as fases – fora as vidas extras que você recebe.

Aliás, muito importante citar: Blazing Chrome permite jogar em até 2 pessoas no mesmo console. Infelizmente o jogo não oferece um modo online, o que seria um grande diferencial já que dificilmente os títulos deste gênero tem este recurso nos dias de hoje. De qualquer forma, o single player também funciona de forma excelente – então tá perdoado.

Armazene seus armamentos

Algo que eu odiava – e ainda nao suporto – na franquia Metal Slug, era a forma como o jogo tratava a mudança de armas. Às vezes você está equipado com algo extremamente útil e que você sabe usar muito bem, então por acidente acaba coletando outro tipo de arma, e aquela na qual você se amarrava já era.

Blazing Chrome faz o contrário, ele armazena as armas para que sejam selecionadas e usadas, o que achei bastante útil pois evita estes problemas que sempre tive com a franquia da SNK.

A fase diferentona que todo mundo gosta

Duração na medida certa

Algumas pessoas podem dizer que o jogo é curto, mas essa afirmação faz comparação com qual título exatamente? A história tem uma duração aproximada de 3 horas no total, caso você opte pelo padrão.

Obviamente a dificuldade exagerada aumenta o tempo que alguém demoraria para terminá-lo. Porém, se existe um modo “normal” para ser jogado, este é o qual sempre aconselho a pessoa escolher.

Apesar de “somente” 7 fases, Blazing Chrome sabe muito bem variar suas mecânicas sem perder a coesão com seu game design central. Melhor ainda, a qualidade é absurda mesmo que certas variações são usadas em apenas um momento.

A forma como o jogo usa a jogabilidade da moto ou a “mochila à jato” do mundo tridimensional é incrível, e você percebe que aquilo foi criado com muito carinho e dedicação por mais que fosse surgir apenas em poucas fases – ou num chefão final.

Sim, o chefão final tem várias etapas
Screenshot sem filtro CRT aplicado

Fazendo escola

Sem spoilers: o jogo tem uma surpresa após o final que o torna simplesmente mais valioso do que já é.

Depois que você termina a história, o jogo libera alguns extras que realmente dão vontade de vivenciar a experiência novamente em seguida – e de uma forma completamente diferente da original. Se alguém me perguntar “quem é o jogo referência do gênero plataforma com tiro atualmente?”, eu respondo sem dúvidas: Blazing Chrome.

Este review foi feito com uma cópia de Switch cedida pelos produtores

Blazing Chrome

10

Nota final

10.0/10

Prós

  • Recursos de acessibilidade
  • Gráficos fenomenais
  • Filtros visuais bem pensados
  • Coop muito divertido
  • Desbloqueáveis

Contras

  • Poderia ter um online