cat-quest-2-capa

Review Cat Quest 2 – Um RPG bom pra catioro

Ok, este subtítulo foi péssimo. Bom, Cat Quest 2 é a continuação de Cat Quest (óbvio), um jogo de RPG de ação, feito pela The Gentlebros e publicado pela PQube, lançado este ano para todas as plataformas mais recentes.

Ao contrário do primeiro jogo, agora temos a inserção da cachorrada na história, então você pode escolher ser #TeamCão ou #TeamGato. A história é bem simples, gira em torno de dois reis/heróis (os protagonistas) de espécies diferentes que precisam trabalhar juntos e salvar seus respectivos reinos: Felingard (começam aqui os trocadilhos do jogo) e Lúpus . A jogatina foi feita usando a versão de Nintendo Switch, a qual funciona muito bem no modo portátil e no modo dock (TV), sem problemas de tamanho de fonte ilegível, interface pequena, lentidão nos quadros por segundo, etc. Realmente o jogo é feito com carinho e atenção.

Ano: 2019
Jogadores: 1-2 jogadores (local)
Classificação indicativa: Livre
Português: Somente legendas
Plataformas: PC, Xbox One, PS4, Nintendo Switch, iOS, MacOS e TvOS
Duração: 6 horas (campanha) / 11 horas (100%)

O reino dos gatos e da cachorreira

O RPG da galera

Cara, sério, Cat Quest 2 é um jogo de RPG extremamente simples, qualquer um consegue jogar e praticamente dominar os controles em poucos minutos de quebra-pau. Aí você me diz “ah, mas e os esquemas de subir de nível, distribuir atributos e blá blá blá”, olha, você consegue sim subir de nível, mas a evolução do seu personagem é automática. O que você consegue realmente controlar neste jogo se tratando de melhorias são seus itens – que tem possibilidade de fazer upgrade -, os quais são o ponto chave para que você ganhe mais pontos em defesa, ataque, etc. Nesta parte o jogo manda bem, te dando a opção de usar armas de longa distância ou de curta, além de poder estilizar seu felino/canino usando roupas que visualmente mudam seu personagem. Resumindo, o foco do jogo é mesmo a jogabilidade e não a complexidade (leia “uma porrada de coisa pra gravar na cabeça”) dos RPG mais tradicionais ou conhecidos. Você tem os comandos de ataque, rolar (desviar) e botões pra magia que podem equipar uma diferente em cada botão, como, por exemplo, magias ofensivas e de cura pra ficar bem equilibrado.

Meu parceiro controlado pela IA mandando ver ali

Aqui não tem IA burra, parça

Cat Quest 2 te dá a opção de jogar sozinho (o modo “não tenho amigos”) podendo alternar a qualquer momento entre os personagens, ou então cooperativo com um segundo jogador ser humano. Vou falar um negócio pra vocês: quem já jogou Resident Evil 5 ou o 6, sabe a dificuldade que é jogar sozinho esses jogos onde o seu parceiro/parceira é controlada pelo computador, porque a inteligência artificial merece e muito o apelido de burrice artificial. Cat Quest 2 é um ponto fora demais da curva, porque tenho que admitir que fiquei surpreendido pra caramba quando observei que meu parceiro, que o computador estava controlando, sabia muito bem o tempo exato de atacar e o de desviar dos golpes dos inimigos. É lógico que o jogo fica mais divertido em modo cooperativo, mas a programação aqui do segundo personagem não fica devendo absolutamente nada (não estou exagerando), então não se preocupe se não tiver com quem jogar. Seu amigo computador morreu? Relaxa, é só ficar perto dele que a barra de saúde vai subindo até ele voltar à vida.

Vai por mim, nenhuma missão tem segredo, não importa a dificuldade

Pega na mão, mas me deixa cair

O jogo é bonzinho até demais com o jogador, porque muitas das vezes você será praticamente guiado para onde precisa ir, o que tem que fazer ou com quem precisa falar e até mesmo o nível recomendado para entrar em alguma masmorra ou caverna. Algumas pessoas vão achar isso bem acessível, outras vão odiar por ter o sentimento de que está tendo sua inteligência subestimada – ou até mesmo de que está conquistando coisas que qualquer um conseguiria. No meu caso, gostei da velocidade em que conseguia progredir no jogo, pois não precisava passar frustrações o tempo todo (abraço, Dark Souls). Ah, a jogabilidade também é relativamente fácil, já que foram meio raras as vezes onde acabei morrendo.

Matagal, deserto, ruínas e cavernas: tudo segue uma estrutura parecida

Acho que já passei por aqui

A história do jogo é bem simples, e as missões mais ainda. Sem falar que a maioria se resume em: fale com alguém, vá em algum lugar, traga alguma coisa, etc. Ao jogar por mais ou menos 1 hora você provavelmente vai se sentir cansado e querendo trocar de jogo, porque sinceramente a jogatina não varia muito e você vai se pegar quase que fazendo as mesmas coisas em cenários diferentes – as missões secundárias também não se salvam disso -, além de que não tem como “viajar de forma rápida” para algum lugar por onde você já passou, e andar às vezes cansa. O que mais te dá a sensação de variedade mesmo são os inimigos, que normalmente mudam e tem padrões diferentes, o que te obriga a usar uma estratégia diferente em cada um em vez de só sair distribuindo patadas (RISOS) nos bichos. Li também algumas análises que diziam que o jogo parece muito o primeiro, mas como não joguei o primeiro título acabei não tendo este problema.

Esses trocadilhos tem seu público, vai kkk

Humor, memes e bobeiras

Quero dar meus parabéns mais uma vez pro jogo, mas agora por causa da localização. Jogando no idioma “português-brasileiro”, você vai se deparar com vários trocadilhos e memes da última decada, provando que o tradutor realmente manja do que estava fazendo. Porém, nem todo mundo vai gostar, como a minha namorada que jogou comigo e ficou completamente irritada com o jeito de ser do jogo. Realmente, dependendo do seu sensor humor, você vai acabar ficando de saco cheio da forma de agir dos personagens do jogo porque ele tenta ser fofo e engraçadinho quase que o tempo todo através de brincadeiras e usando piadocas com gatos e cães. Enfim, Cat Quest 2 é um jogo de bastante simplicidade e tem seu público, ele é perfeito para amantes de RPG que não estão com paciência pra ficar lendo blocos imensos de texto ou até mesmo perdendo horas desenvolvendo e montando seu personagem num jogo onde a complexidade reina.

Prós

  • Jogo simples e direto
  • Jogabilidade acessível até pra quem não conhece o gênero RPG
  • Mapa bem grande
  • Inteligência artificial excelente
  • Modo cooperativo muito divertido

Contras

  • Às vezes o humor fica meio infantil e excessivo
  • Desafios parecidos
  • Cenários de certa forma parecidos (estrutura)

Este review foi feito usando uma cópia cedida de ♥ pela PQube