space-pioneer-capa

Review Space pioneer – Tiroteio arcade no espaço

O jogo Space Pioneer, desenvolvido pela Vivid Games, foi originalmente lançado em 2018 para smartphones e agora em 2019 recebeu seu port para Nintendo Switch publicado através da Qubic Games. Existem alguns pontos bem interessantes quando falamos de jogos de celular vindo para consoles grandes, e vamos tratar disso aqui.

Ano: 2019
Jogadores: 1-4 (local)
Gênero: Ação, Tiro, RPG
Classificação indicativa:
10 anos
Português: Somente legendas
Plataformas: Android, iOS, Switch
Duração: Sem registros ainda

Screenshot da versão mobile do jogo, com várias compras internas – observe a pedra verde no canto superior direito, que funciona como um dinheiro premium

Port de mobile sem compras internas

Se tem uma coisa que reina no mundo dos jogos mobile e eu simplesmente não suporto são as compras internas. Podem ser às vezes itens cosméticos que aí não me importo tanto assim, mas Space Pioneer para smartphones tem aquele mal que, se você pagar certas coisas com dinheiro real (imagem acima), você consegue ter acesso à equipamentos melhores bem mais cedo. Acho isso chato demais, porque é um sistema que tenta tirar dinheiro do jogador de alguma forma para avançar mais rapidamente, e não gosto de práticas assim. Felizmente o port de Switch está 100% livre disso (e nem sei se tem como fazer sistema de compras internas no Switch até mesmo em jogos gratuitos, pra ser sincero, vide Arena of Valor), então aqui você vai poder aproveitar o jogo feito da forma correta.

Na versão para consoles, você compra tudo com dinheiro adquirido no próprio jogo e não tem as pedras verdes citadas acima

Jogo simples, mas viciante

Space Pioneer é um twin stick shooter (tiro que utiliza o analógico esquerdo para movimentação e o direito para mira) e também um dos jogos mais simples que já joguei no Nintendo Switch. Sua jogabilidade base é muito direta: destrua algo no mapa, ative algum mecanismo, plante alguma bomba, escolte algum personagem e mate X inimigos com uma arma em específico, tudo isso te dando um ranking de 1 a 3 estrelas em cada fase (bem no formato de jogos arcade de celular mesmo). São cerca de 12 mundos (até onde cheguei a ver) com várias fases cada um, existindo no final de cada mundo um chefe para ser enfrentado. Então a durabilidade do jogo é de um tempo razoável se você não contar as vezes que vai precisar voltar em uma fase para cumprir um objetivo que ficou para trás e fez com que você não pegasse as 3 estrelas do ranking.

Tudo parece simples até demais, né? Bom, mas aí que entra a mecânica de RPG no jogo, a qual faz com que você fique instigado em aprimorar seus equipamentos e habilidades com as moedas ganhas, cujo aprimoramento ainda te dá pontos de experiência para subir de nível e desbloquear novas armaduras. Além disso o jogo conta com um sistema de metas para cumprir, e com isso você também ganha experiência e mais dinheiro para gastar com seus equipamentos. Entendeu qual é a sacada aqui? Tudo fica bem amarrado pra você querer cada vez mais e mais conseguir uma build melhor para seu personagem – e a recompensa pelo esforço neste jogo é bem grande.

O coop existe, mas faltou a função de reviver o parceiro

Cooperativo de sofá pra uma galera

Sim, aqui temos um modo multiplayer cooperativo local (no mesmo console) para até 4 jogadores! Infelizmente não é online – como a versão original para celular tem, porém comprovei que é um online simulado com bots -, mas é divertido caso você consiga a proeza de tirar 3 amigos dos confortos de seu lar para jogar com você em sua casa. Apesar de existir este modo cooperativo, faltaram algumas funções essenciais como a possibilidade de reviver o parceiro morto, que é algo que tornaria tudo mais dinâmico e divertido. Caso opte por jogar sozinho, você terá a companhia de um mini-robô-atirador-piadista-falador-de-memes ao seu lado pra te ajudar nas missões.

A cada missão, você recebe uma carta que permite fazer upgrade no equipamento ilustrado nela

Saiba o jogo que está adquirindo

Enfim, Space Pioneer é um jogo para se jogar durante algumas horas ou em curtos períodos de tempo, ele tem essa versatilidade. Não adquira ele se você estiver atrás de uma boa história, porque aqui o que você vai encontrar é uma jogabilidade extremamente arcade e divertida, boa para juntar amigos ou até mesmo jogar sozinho enquanto ouve um podcast ou toca aquela sua playlist de músicas preferidas. Lembrando mais uma vez que o jogo é um port da versão de celular, até mesmo com modos a menos, como o horda – o que acredito e espero que seja adicionado com o passar do tempo para dar mais longevidade à versão de console.

Prós

  • Sistema de evolução de habilidades e equipamentos estimulante
  • Dificuldade acessível para qualquer um
  • Gráficos que não envelhecem
  • Coop para até 4 jogadores
  • Gráficos cel-shading que dificilmente envelhecem

Contras

  • Queda de quadros por segundo em momentos de muitos elementos na tela
  • Menos modos que a versão mobile
  • Sem multiplayer online
  • Grinding chato em algumas missões de matar X inimigos com uma arma específica que podia ser mais natural
  • Sem opção de mira automática como tem na versão mobile
  • Não tem como reviver um parceiro no modo coop
  • Alguns bugs estranhos como um mar de moedas surgindo do nada

Este review foi feito usando uma cópia cedida de ♥ pela Qubic Games