biolab-wars-capa1

Review Biolab Wars – O Contra da nova geração

Um jogo totalmente inspirado na era dos jogos 8-bit e nos filmes de ação da década de 80, Biolab Wars, desenvolvido pela Kolibri Game Studio e publicado pela Forever Entertainment no Switch (plataforma usada para o review), é como se fosse uma carta de amor à galera das antigas e aos fãs da franquia Contra, um clássico onde o run ‘n gun era febre no mundo do entretenimento eletrônico.

Ano: 2019
Jogadores: 1
Gênero: Ação
Classificação indicativa:
Livre
Português: Apenas legendas
Plataformas: PC, macOS, Switch
Duração: Sem registros

3 personagens, mas a jogabilidade é a mesma

A história mais clichê possível (propositalmente)

A trama aqui gira em torno de um laboratório alienígena que está fazendo experiências na terra, e sua equipe de 3 personagens jogáveis vem para “combater o mal e viver altas confusões contra uma galera da pesada”.

Fase da motinho, um clássico

Em Biolab Wars temos 3 selecionáveis que se levam nada a sério (e a descrição oficial de cada um ajuda a não manter a seriedade):

– Finn: um maromba, ex-fuzileiro, ex-chapeiro e ex-técnico de TV;
– Becca: a moça mais mortal e durona do pedaço;
– Teddy: um cachorro de armadura, que sofreu experiências no laboratório alienígena e agora procura vingança, ou então encontrar seu dono (OI?).

Tiro pra todo lado

Simples, mas eficiente

Aqui temos a jogabilidade de plataforma mais fácil de entender do mundo: corra, atire, jogue granadas nos inimigos e sobreviva. Todas as fases seguem este mesmo fundamento, porém apresentando padrões e inimigos distintos. Diferentemente dos jogos clássicos da franquia Contra, aqui existe a vantagem de ter uma barra de saúde em vez de levar apenas um dano e morrer. Ainda bem que a desenvolvedora pensou em uma dificuldade mais voltada ao jogador de hoje em dia que não possui tanto tempo para jogar e se frustrar como antigamente. Apenas trazendo a crítica para um lado mais pessoal, não gosto nada da mecânica de ser jogado para trás ao ser atingido, o que acontecia bastante nos primeiros títulos da série Castlevania – e sim, aqui existe essa punição de ser arremessado. Um detalhe que acho importante citar aqui como ponto negativo é a impossibilidade de alteração no mapeamento dos botões: jogando no Nintendo Switch, você pula com o A e atira com o B, o que acho extremamente desconfortável pela posição dos dedos.

Chefão absurdo no meio do mar: total sentido

Um “tcham” a mais

Como falei, o jogo tem uma proposta bem simplificada, mas seu brilho está nos elementos que compõem a jogatina, como a variedade de armas que você consegue adquirir ao longo das fases e uma espécie de ajudante que fica flutuando ao seu lado lhe ajudando a acabar com os inimigos. Aliás, não faça como eu que saí gastando todas as minhas granadas nos inimigos normais das fases, guarde para os chefes finais porque esse tipo de armamento é escasso durante o jogo – não é como um Metal Slug da vida onde você consegue achar várias caixas com granadas extras.

Bom custo-benefício

Biolab Wars é fácil de ser encontrado por preços extremamente modestos em todas as plataformas em que ele está disponível (até o momento Steam e Nintendo Switch), o que me fez considerá-lo um jogo que realmente vale muito a pena por possuir cerca de 7 fases bem trabalhadas e totalmente diferentes umas das outras – e que vão te dar bastante trabalho em passar sem morrer ao menos umas 3 vezes.

Prós

  • Jogo fácil de dominar
  • Dificuldade honesta
  • Variedade de armas
  • Diversão para saudosistas e públicos mais novos

Contras

  • Controles não são personalizáveis
  • Layout ruim dos botões

Este review foi feito originalmente para o site Indiespensáveis